Casqueamento Bovino Preventivo

Casqueamento Bovino Preventivo

Em uma criação de gado, existem sérios problemas envolvendo os cascos dos animais, os quais têm gerado prejuízos para diversas produções. Taxas como as de fertilidade, peso e expectativa de vida dos bovinos são afetadas por problemas podais. Uma vaca leiteira, por exemplo, sentindo desconforto em seus cascos pode deixar de produzir 5 litros de leite por dia. Em casos de lesões mais avançadas, o rendimento decai ainda mais, possibilitando que uma única vaca perca até 30 litros por dia. Por isso, a necessidade de maior cuidado quanto à saúde dos pés dos animais criados.

Como surge o problema?

Existem dois fatores relevantes para a ocorrência de ferimentos nos cascos. O primeiro fator é o confinamento. Vivendo soltos, os animais naturalmente desgastariam suas unhas o suficiente para evitar tais problemas. O segundo é a alimentação focada no ganho de peso acelerado. Esta dieta resulta no crescimento em um ritmo acima do natural, dificultando que suas patas acompanhem devidamente.

O que é? Como é o procedimento?

O casqueamento preventivo é, portanto, a manutenção cautelosa dos animais. É a atividade de prevenir o gado de possíveis excessos, feridas ou rachaduras em suas patas. A lida com os animais acontece por meio da retirada de acúmulo de suas unhas. Este procedimento auxilia também na correta distribuição de peso entre os quatro membros dos bovinos.
Para casquear o gado é preciso imobilizá-lo e manter suas patas elevadas. Existe um equipamento específico para esta imobilização, o tronco de contenção. Então, com a ajuda de ferramentas como o torquês, a rineta e a grosa, o excedente será retirado e as pisaduras serão lixadas.

O importante é a prevenção

A recomendação dos especialistas é que se faça o casqueamento pelo menos duas vezes ao ano, preferencialmente, durante o período seco das vacas. E em filhotes, deve-se casquear entre os 80 e 100 dias após o parto.
Por fim, é preciso lembrar que o casqueamento é apenas um dos cuidados que deve-se ter com o gado para que este não sofra de tais males. O esmero com a criação deve ser constante. E entre as cautelas, leva-se em conta a nutrição, higiene, conforto e qualidade do piso. Estes fatores também influenciam na saúde podal de uma produção bovina.

Fonte: Senar Minas, Revista Agropecuária, EducaPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *