Clima intenso traz prejuízos para o agronegócio

Clima intenso traz prejuízos para o agronegócio

Fortes chuvas marcam o início de 2020, e a previsão é de mais uma semana de precipitações volumosas, as quais têm afetado a produção e a colheita no campo.

A Somar Metereologia revela que o motivo de tanta chuva é o encontro das nuvens carregadas vindas da floresta amazônica com a frente fria do litoral.

Chuva de mais, chuva de menos!

A empresa alerta que o sudeste do país pode registrar pancadas de até 50 milímetros em um dia, com risco de alagamento. Deslizamentos de terra já atingiram lavouras de café no Espírito Santo.

Para o centro-oeste, certos locais podem chegar em até 100 milímetros de chuva. Em Goiás, a colheita de feijão sofre pela impossibilidade das máquinas de entrarem em campo.

Porém, o sul sofre do oposto. A seca, principalmente no Rio Grande do Sul, trouxe problemas para várias culturas. A soja teve baixa na produção, podendo ser colhida apenas em março.

Para não ser prego de surpresa, você pode verificar no Climatempo o atual estado do clima, e também se antecipar para os próximos dias.

Daqui para frente

Para esta semana, as demais regiões seguem com previsão de chuvas também, porém mais amenas. O tempo permanece sem precipitações para a região sul e o extremo norte do país.

A partir do dia 18, as nuvens devem estar menos densas e mais espalhadas por todo o Brasil. Exceto no norte, os volumes previstos se reduzem para perto dos 15 milímetros, na semana que antecede o Carnaval.

Fonte: Canal Rural, Climatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *