Como fazer uma prescrição veterinária: conceitos básicos

Como fazer uma prescrição veterinária: conceitos básicos

O sucesso de uma consulta veterinária está, muitas vezes, na prescrição feita para o animal. Os remédios a serem utilizados para tratarem enfermidades ou para complementar intervenções cirúrgicas devem ser adequados e produzir os efeitos esperados, para que haja uma recuperação total do paciente.

De acordo com o Decreto nº 20.931, de 11 de Janeiro de 1932, que regula e fiscaliza o exercício da medicina veterinária, “Nas receitas deve o veterinário determinar o animal a que se destina a medicação, e indicar o local onde é encontrado bem como o respectivo proprietário, mencionando a qualidade de veterinário após a assinatura da receita.”.

Também é preciso estar atento a conceitos básicos na hora de prescrever remédios. Conheça alguns:

Farmacologia

A farmacologia é o estudo da fonte das drogas e da ação e destino das mesmas no organismo.

Terapêutica

É a forma “prática” da farmacologia, isto é, como o medicamento deve ser administrado para tratar ou prevenir doenças.

Droga

É qualquer substância química utilizada para promover ou salvaguardar a saúde de animais e seres humanos. Em outras palavras, droga é toda substância química com atividade terapêutica.

Medicamento

É a droga na forma de ser utilizada pelo paciente.

Forma farmacêutica

Forma como os medicamentos se apresentam, como comprimidos, xaropes, suspensão, entre outras.

Fórmula médico-veterinária

Conjunto de bases com as quantidades e instruções para uso dos medicamentos

Posologia

Corresponde à dosagem do medicamento. É a quantidade necessária para produzir uma resposta terapêutica desejada no paciente, e que não produza outras alterações no organismo, preferencialmente.

Os medicamentos podem ser classificados quanto:

À finalidade: curativos, profiláticos, sintomáticos, dietéticos, diagnósticos;

Ao mecanismo de ação: etiológicos, fisiopatológicos, de reposição;

Ao tipo de preparação: oficinais, magistrais, especialidades terapêuticas;

À constituição: simples, compostos, intermediário, corretivo;

À natureza: podem ser de origem animal, vegetal, mineral, sintética ou semissintética.

À indicação terapêutica: antitérmicos, antibióticos, antiparasitários, analgésicos, entre outros.


Fontes: Vetarq – vetarq.com.br
Câmara dos Deputados – www2.camara.leg.br
Por Renato Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *