Evite incêndios: Não use fogo!

Evite incêndios: Não use fogo!

Panorama geral

Nas últimas semanas, os incêndios que têm acontecido pela Amazônia fizeram manchetes no mundo todo, e se tornaram pauta de discussões nas redes sociais.

Assim como a nossa floresta, outros biomas também estão sofrendo com o fogo além do esperado, como a savana na África Central, regiões árticas da Sibéria, e outros.

Este período do ano, de clima seco e quente, favorece a perda de quilômetros de vegetação nativa a partir da menor faísca. Aliado a isso, existe a parcela de culpa do ser humano. Seja por descuido ou de forma intencional, o fator humano é o maior causador de incêndios.

Aqui no Brasil, a utilização do fogo na agricultura gera grande parte dos incêndios florestais. Por mais que esta técnica tenha um processo mais simples e resultados mais rápidos, a queimada não traz tantos benefícios à médio e longo prazo.

Porque não fazer queimada?

Mesmo que haja uma maior fertilidade inicial com o solo queimado, este efeito dura muito pouco, pois com o fogo, boa parte dos nutrientes se perde na atmosfera.

Segundo a Embrapa, pesquisas mostram que a queimada empobrece o solo, provocando a perda de 98% de carbono, 96% de nitrogênio, 76% de enxofre, 48% de potássio, 47% de fósforo, 40% de magnésio e 30% de sódio.

Além disso, a prática de atear fogo sem permissão do órgão ambiental responsável é crime. Em área federal, é preciso autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em áreas rurais, a autorização é concedida pelos órgãos ambientais estaduais.

Como fazer uma queima controlada

Caso em uma situação específica não haja uma alternativa ao uso do fogo, a Embrapa declara que é necessário tomar as devidas precauções para a realização da atividade da queima. Então, antes da queimada controlada é preciso:

  • autorização dos órgãos ambientais estaduais
  • notificar dia e hora da atividade
  • informar vizinhos
  • estudar características do terreno
  • verificar clima e horário
  • instruir funcionários, com apoio de órgãos ambientais
  • fazer aceiros (desbaste de terreno ao redor)

Alternativas ao uso do fogo

Existem tecnologias desenvolvidas com o objetivo de substituir o sistema de derruba e queima. Estão elencadas abaixo algumas alternativas ao uso do fogo:

1. Mucuna preta

Uma boa opção está no uso da mucuna preta. A planta é de fácil cultivo, evita processos erosivos resultantes da chuva, adiciona nitrogênio orgânico ao solo, ajuda no combate à ervas daninhas e serve de adubo natural.

2. Amendoim forrageiro

Pode-se listar também o amendoim forrageiro, que costuma ser empregado junto à gramíneas. Suas folhas e talos adubam, aumentam a fertilidade e a capacidade produtiva do solo. Sua utilização resulta em maior qualidade das pastagens e aumenta a longevidade dos capins.

3. Trituração da capoeira

Outra alternativa é a trituração da capoeira. Esta técnica é possível com o equipamento chamado Tritucap, que é um grande trator com um triturador na sua dianteira. A tecnologia foi desenvolvida em uma parceria entre Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA) e duas universidades alemãs.

As alternativas à queimada no manuseio do solo que foram citadas aqui servem para te incentivar a se informar melhor à respeito. Considere formas mais conscientes de tratar a terra.

Fonte: Sputnik, Embrapa, Legado Brasil, Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *