A agrônoma Thaís Ferreira de Almeida mostra como afastar insetos indesejados do seu pomar ou da sua horta, usando extratos de outras plantas.

Thaís é doutora, e cuida do horto medicinal da Emater, localizado no campus da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia – GO. No local, são mais de 120 espécies cultivadas.

As dicas da agrônoma servem principalmente para pequenas produções, nas quais o maior objetivo é o consumo caseiro, para alimentação sua e da sua família. Funciona bem para pragas como a família dos besouros e a larva minadora.

A mosca-das-frutas causa enrugamento, atrofia dos frutos e, em ataques mais intensos, leva a queda de pomos antes que amadureçam. Leia o artigo completo clicando no link abaixo:

Preparações caseiras

São sugeridos 2 plantas para se fazer os repelentes: fumo de corda e a pimenta malagueta. Para ambas as matérias-primas, o procedimento é parecido. Ambos podem ser preparados separadamente, havendo também a possibilidade de juntá-los.

Corte 25g de pimenta (ou desfie 25g de fumo), colocando tudo dentro de uma garrafa pet. Então, adiciona-se 500ml de álcool 92 graus, que serve tanto para conservar o produto, quanto para extrair o princípio ativo.

Cuidados com a solução pronta

  1. Assim que estiver pronta, a preparação precisa descansar por, pelo menos, 48 horas.
  1. É importante também deixar a mistura longe da luz. Para isso, pode-se envolver a garrafa pet com papel alumínio.
  1. Agite a garrafa, pois com o tempo o material decanta no fundo. Nessa situação, pode haver perda da sua eficácia.
  1. Antes de colocar no borrifador, é preciso filtrar 2 vezes a solução, uma usando peneira, para a retirada de resíduos maiores, uma segunda com um filtro de café em um funil, para não entupir o bico do spray.

Associando as preparações

Para juntar as duas soluções no borrifador, é preciso fazer nas devidas medidas: 25ml de extrato de fumo, 25ml de extrato de pimenta, 500ml de água e uma colher de café de detergente neutro.

Assim que estiver pronto o repelente, é preciso pulverizá-lo todo. Borrife não só a planta que precisa do produto, mas também as que estão ao seu redor, para a praga não atacar os pés próximos.

O ideal é passar o repelente nas plantas de 7 em 7 dias, nos horários mais frescos, já que as folhas podem queimar com a aplicação em horas mais quentes.

Utilize o CPT Agropédia e Receituário Agronômico para te ajudar a controlar a praga da sua lavoura. O software te oferece um banco de dados com mais de 5 mil documentos referentes a defensivos agrícolas, ingredientes ativos, insetos e muito mais:

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *