Manejo de irrigação de pastagens: siga as dicas e alcance sucesso

Tanto a pecuária de corte como a leiteira dependem de áreas com boas pastagens, onde o rebanho possa se alimentar adequadamente. Para maior qualidade das forrageiras, é preciso realizar um manejo de irrigação, que permita o uso da água sem desperdício, mas que supra as exigências das plantas. Quando o projeto de irrigação é bem planejado, os custos com produção são reduzidos e a produtividade da forragem aumenta. E o Software CPT Irrigação por Aspersão ajuda a dimensionar os sistemas com melhor relação custo-benefício na implantação do projeto.

Mas também é preciso escolher o método de irrigação conforme as condições climáticas da região e a análise do solo. De acordo com especialistas da Embrapa, existem métodos apropriados para cada caso. Portanto, o pecuarista deve considerar a avaliação e as recomendações de profissionais experientes na área. Dessa forma, os resultados serão potencializados.


Balanço hídrico

O balanço hídrico é uma etapa importante para o sucesso do projeto de irrigação. Ele é realizado com base nos dados climáticos na demanda máxima de irrigação das pastagens. Dessa forma, o pecuarista otimiza o sistema de irrigação, aumenta a produtividade da forrageira, reduz os custos com a produção e evita o desperdício de água. Na verdade, com o balanço hídrico, o produtor ganha em eficiência e economia.


Levantamento da área

Antes de implantar o sistema de irrigação, é indispensável fazer o levantamento da área. Durante o procedimento, são feitas curvas de nível metro a metro. A distância e o desnível da área irrigada (até a fonte de água) são medidos e inclusos no projeto de irrigação. Se a água vier de poços artesianos, a medida deve partir da profundidade da boca (até o nível da água com a bomba do poço).


Manômetro e hidrômetro

O manômetro tem a função de medir a pressão de saída de água. Entretanto, é importante que o produtor instale o equipamento, com glicerina na saída da tubulação, próximo à bomba do sistema. Ao seguir essa recomendação, torna-se mais fácil saber se o funcionamento do sistema está de acordo com o projeto. Outro equipamento essencial é o hidrômetro, que controla o volume de água.


Vistoria dos equipamentos

O produtor rural deve proceder a vistorias periódicas nos equipamentos do sistema de irrigação. Os aspersores (incluindo a pressão na saída) devem ser inspecionados, no mínimo, uma vez ao ano. O mesmo vale para os componentes da estação de bombeamento – dentre eles, as conexões e tubulações de sucção e de recalque, além da válvula de pé com crivo e da bomba. Também é importante verificar vazamentos nas tubulações, assim como o bom funcionamento dos dispositivos de acionamento e liberação de água.


Conheça os Softwares para Gestão Agropecuária.

Fonte: sfagro.uol.com.br

Por Andréa Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *